Benefícios do Escalda pés Alternado

Escaldas Pés Alternado

É a técnica de tratamento onde se trabalha estados de desequilíbrio emocional ou quaisquer distúrbios gerais da saúde através da água quente e fria, com aplicação na região dos pés imersos em agua com nossos sais dissolvidos na agua quente (acima do tornozelos) e agua fria na sequencia.

O escalda-pés é uma prática milenar presente em várias tradições e civilizações. Estima-se que há seis mil anos o escalda-pés já era utilizado com a finalidade de proporcionar relaxamento e limpeza. Hoje em dia, com a correria do trabalho e a utilização de eletrônicos em geral, e o fato de sermos rodeados por torres de celular e sinais wi-fi (que possuem campos eletromagnéticos potencialmente danosos à saúde), há propensão ao estresse físico e mental, que proporciona muitas dores, principalmente nos pés, que são a base da sustentação.

Muitos se perguntam se o escalda-pés funciona ou não. De acordo com a técnica da acupuntura chinesa, existem terminações nervosas nos pés que estão associadas aos diversos órgãos do corpo humano. A pressão e o aquecimento desses pontos causariam um reflexo imediato no equilíbrio energético de todo o corpo. É por isso que quem está habituado a praticar corrida (geralmente corredores profissionais) fazem uso desta técnica, pois, cuidando bem dos pés, é possível obter sensações de bem-estar, relaxamento e benefícios para todo o corpo.

Tratamento pela bioeletricidade

Um dos principais benefícios terapêuticos desta técnica é a propriedade de melhorar a bioeletricidade do corpo, por meio da imersão dos pés em uma solução salina. Segundo estudos de biofísica, o corpo humano é composto por 64% de solução salina e suas células vivas dependem das atividades elétricas e magnéticas para sobreviverem; além disso, os tecidos formados pelas células exibem uma grande variedade de propriedades elétricas. As células obedecem às mesmas unidades de voltagem, capacitância, fluxo de corrente e resistência, assim como outros componentes elétricos, sendo a principal diferença entre eles o fato de que os tecidos biológicos usam átomos com carga ou íons para o movimento das cargas, enquanto os sistemas elétricos usam elétrons.

Quem conhece um pouco de magnetismo sabe que a diferença da concentração da solução salina dos meios intra e extracelular gera uma diferença de potencial entre dois pontos, o que provoca alterações nas atividades celulares e, consequentemente, nos aspectos teciduais, possibilitando a transmissão de corrente elétrica. Cada tecido do corpo humano tem o seu grau de condutividade variado, sendo que os melhores condutores são aqueles que possuem muitos íons dissolvidos em sua composição.

Quando adicionamos sais em água, eles se dissociam formando íons que conduzem energia elétrica. Ao colocar os pés em contato com essa solução eletrolítica, a força elétrica gerada pelos íons dispersos na água faz com que os íons das células do corpo humano migrem na direção dessa força externa no sentido de atração ou repulsão. Essa migração iônica pode causar então alterações fisiológicas em vários níveis do organismo: celular, tecidual, segmentar e sistêmico. Os efeitos dessas alterações no organismo são:

Nível celular: aumento na excitação dos nervos periféricos, elevando assim o fluxo capilar e a microcirculação arterial, venosa e linfática. Esse nível também é caracterizado pela alteração na permeabilidade da membrana, possibilitando, dessa forma, o aumento da passagem de íons e o aumento da oxigenação das células;

Nível tecidual: aumento do fluxo sanguíneo arterial e venoso e alteração dos equilíbrios térmicos, o que provoca o aumento da temperatura e da composição química dos tecidos.

Nível segmentar: ativa a circulação linfática, venosa e arterial da grande circulação;Nível sistêmico: provoca efeitos analgésicos por interferir na ação neurotransmissora, como a serotonina, e atua na circulação associada a polipeptídeos, principalmente nos vasoativos intestinais, ativando o peristaltismo.

É um dos grandes recursos em hidroterapia que consegue reações fortes e prolongadas por todo o corpo e vísceras, como o fígado, útero, bexiga, intestinos e outros. Graças aos sais e ativos naturais dissolvidos juntos ao calor da água, os músculos e a cabeça sentem grande alívio, promovendo uma limpeza energética ao descarregar toda a tensão elétrica do corpo. Imediatamente, os poros dilatam, a circulação é ativada e a mente relaxa. O acréscimo de ervas e óleos essenciais que melhoram a circulação, desinflamam, tira o inchaço das pernas e diminuem a retenção de líquidos causa a grande sensação de bem estar neste tratamento. A água é um dos meios mais eficazes de cura. Gerando transformações no sistema nervoso e no circulatório, ela é capaz de produzir o equilíbrio térmico do organismo.

Indicações: Cansaço, estresse, insônia, agitação, enxaqueca, pés frios e/ou edemaciados, traumatismos (torções), dor de cabeça, inflamações localizadas (artrites), dor nas pernas e/ou articulações (artrose), baixa imunidade, hipertensão, sintomas de resfriado. Em casos de micoses e frieiras acrescentar maior quantidade do preparado de sal

Contra indicações: Trombose, diabetes descompensada, erisipela, alterações de sensibilidade local.

Tempo: 25 minutos. Começando pela água quente 5 minutos, e passando para a fria, 1 minuto, alternando por até 4 vezes, terminando com a água agua fria e usar meias e descansar (dormir). Se perceber que a agua quente esfriou durante a terapia acrescentar mais agua quente (levar uma garrafa térmica com agua quente).

Observações: Só colocar a compressa frontal fria em caso de dor de cabeça ou pressão arterial alta. Durante e depois do procedimento, não se deve tomar friagem nem deixar entrar corrente de vento.

COMO FAZER:

Com estomago vazio, perto da hora de se deitar e após o banho deixe os pés imersos até os tornozelos em água quente com uma colher de sopa do preparado de sal e ervas, chegando a uma temperatura de 38ºC à 45ºC. Ir acrescentando água quente, suportável, durante o tratamento. Não ultrapassar 45ºC. Pode-se acrescentar neste escalda-pés o chá de camomila, orégano e canela (relaxante) e no balde adicionar umas 12 bolinhas de vidro (gude) ou seixo de rio, para neste período massagear a planta dos pés deslizando os. Faça este tratamento por no máximo 25 minutos sentado na cama, no final enxugue bem os pés, calce meias e o ideal é se deitar. Não tomar friagem durante e após a terapia.


635 visualizações

©2019 por Armazém Fruto da Terra.  Imagens são de autoria de Armazém Fruto da Terra e estão protegidas pela lei de direitos autorais